Be-a-bá

educação

 

Muito se fala sobre a atual situação da educação no Brasil. Principalmente sobre o sistema público de ensino.

De fato, tem muita coisa ruim. Mas, por outro lado, dizer que a educação é deficiente porque os professores são mal qualificados é exagero. Esse pode ser um dos problemas, mas não é o principal. Não sei nem se existe um problema principal, já que são tantos.

Parece que a maior parte dos problemas atuais da educação está relacionada às (mal elaboradas) políticas públicas de ensino e aos próprios estudantes. Sim, aos alunos, mesmo. E é para esse último que quero chamar a atenção.

Não estou me referindo a alunos com déficit de atenção ou a alunos com dificuldade de aprendizagem. Me refiro a alunos como o personagem de Duda Nagle na novela Caminho das Índias, por exemplo. Alunos que desafiam, ridicularizam e até agridem seus professores.

Muito provavelmente o problema está na criação desse jovem. Logo, o problema também é dos pais dos alunos. Mas há quem pense que, se os pais do aluno agem dessa maneira, é porque a criação que tiveram os moldou assim. Então o problema vem desde os pais dos pais do aluno. Já os pais dos pais dos alunos tiveram uma educação… E por aí vai.

É difícil definir de onde surgem os problemas, o que torna ainda mais difícil saná-los.

Enquanto isso, fica a reflexão:

 “Hoje em dia as pessoas pensam em deixar um planeta melhor para nossos filhos. Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?”

5 Responses to “Be-a-bá”


  1. 1 Fabio 18/08/2009 às 17:17

    Tá filosófico, heim, rapá! (Agora deixa eu parar de ler porque preciso trabalhar…)

  2. 2 Claudia 19/08/2009 às 11:07

    Deixa eu te dar um exemplo: na reunião de pais os queridos progenitores cobram que os professores coloquem limites nos alunos! Mas esses mesmos pais deixam os filhos na frente do computador até altas horas da noite.
    Exemplo besta? Não acho. Assim começa o problema…De pequenas coisas que vão se tornando grandes!
    Sei lá culpa de quem é! Talvez dessas pedagogias infames de que não se pode dizer não pruma criança…
    Enfim, eu já assumi que nesse pardieiro não entro mais!
    E vivo repensando se quero mesmo ter filhos…
    Aff, falei muito!
    bjocas

    • 3 Roger 19/08/2009 às 14:30

      Hehehe.
      É, filhos eu (acho) provavelmente não terei.
      Mas pretendo ser professor (ô coitado!), apesar dos pesares…
      E sim, o seu é um bom exemplo.
      E pode falar o qto quiser tb.
      Bjo.

  3. 4 Marilene 06/10/2009 às 11:07

    Olà,

    Gostaria de uma informação sobre essa foto que ilustra o seu bilhete. Vejo que é do desenhista frances Chaunu e que foi publicada pelo jornal Ouest France, mas gostaria de saber a fonte exata : data e matéria que ilustrou… Não sou nenhum fiscal dos direitos de autor; gostaria de utilisar essa foto para um exame de lingua portuguesa que minha filha deve fazer aqui na França. Para isso preciso da fonte exata.

    Muito obrigada

    Marilene

  4. 5 Roger 06/10/2009 às 11:47

    Prezada Marilene,

    A foto foi tirada do site do jornal Ouest-France, na matéria “Parents et enseignants: les relations se crispent”, publicada em 22 de abril de 2009.
    Segue o link: http://www.ouest-france.fr/actu/economieDet_-Parents-et-enseignants-les-relations-se-crispent-_3636-906146_actu.Htm
    Desejo um bom exame para sua filha.

    Atenciosamente,

    Rogério.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: